Sozinha pelo mundo: como começar essa aventura
18/05/2022 - 16:20

O ano de 2022 promete ser de recuperação das atividades turísticas, após dois anos de grave retração em decorrência da pandemia da Covid-19. A vontade reprimida de viajar após tanto tempo de insegurança sanitária está com os dias contados, mas mantendo-se as precauções. E o melhor é que ninguém precisa esperar por companhia para sair pelo mundo afora.

Ser mulher pode, sim, dificultar esse processo de viajar sozinha, mas não precisa ser um impedimento. Há muitos sites e vídeos na internet com dicas para realizar uma viagem sozinha, e reunimos aqui algumas delas.

COMO COMEÇAR - Um passo importante é tomar as mesmas precauções que você toma em sua rotina. Afinal, estamos todos os dias em risco, mas nem por isso deixamos de ir ao trabalho, à faculdade, ao banco, à academia, e, quem sabe agora, às viagens!

Para se sentir mais à vontade, uma dica é começar com viagens próximas e curtas. Segundo o Ministério do Turismo, 2022 será uma “redescoberta do turismo doméstico”, com turismo interno, incluído o de proximidade (staycation).

No Paraná há pelo menos 14 regiões turísticas. Você pode começar por alguma delas. As duas cidades referência em turismo são Foz do Iguaçu e Curitiba. Temos também a nossa famosa Ilha do Mel. Todas as três com facilidade de transporte e hospedagem.

Curitiba é uma cidade rica em parques e belas praças, tem centro histórico, muitas feirinhas, restaurantes, bares e lojas com uma diversidade fascinante. Ainda há museus e sai daqui um passeio de trem para conhecer a Mata Atlântica no sentido litoral do Paraná.

Em Foz do Iguaçu está simplesmente uma das sete maravilhas do mundo: as Cataratas do Iguaçu. A cidade faz fronteira com o Paraguai e Argentina. Há ainda o Parque das Aves com pássaros conhecidos e exóticos. No município também está localizada a maior hidrelétrica do mundo, a Itaipu. No Dreamland você encontra várias atrações como Museu de Cera, Parque dos Dinossauros e o Dream ice bar.

A Ilha do Mel tem a grande maioria do seu território como reserva ecológica. Por isso, a infraestrutura pública é um pouco mais limitada, mas não faz disso um problema para conhecer as atrações. A ilha possui lindas praias, trilhas curtas ou longas, uma gruta com 10 metros adentro das pedras, tem o Farol das Conchas construído no século XIX e a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres, do século XVII.

Mas, no Paraná, temos muitos outros lugares que podem fazer parte do seu cronograma. Você encontra todos os pontos turísticos do Estado no site Viaje Paraná.

À medida que for entendendo como tudo funciona, comece a aumentar a distância e tempo de viagem. Quando menos esperar, você pegou confiança e estará encantada com as paisagens, as culturas, as diferentes gastronomias, e viajar vai virar um vício.

TRANSPORTE E HOSPEDAGEM - Para um bom planejamento, o primeiro passo é contratar a hospedagem. Observe a localização e veja se está próxima dos locais que gostaria de conhecer, se há mercado, restaurantes e outros serviços que você considera prioridade por perto.

Para quem gosta de algo “forever alone” para curtir a solidão, com conforto e praticidade, o ideal é buscar hotéis ou pousadas. Agora, quem curte conhecer gente nova, e até ter companhia para lugares que de interesse em comum, há a opção de hostels. Existem sites de confiança que reúnem todos eles e são ideais para não cair em golpes e ver a opinião de quem já se hospedou no local. Nos hostels você compartilha o quarto, podendo escolher feminino ou misto. E há ainda a opção do Airbnb e Couchsurfing, em que pessoas comuns disponibilizam hospedagem em suas casas, com os anfitriões morando ou não nelas, algumas, gratuitas.

Antes de sair de casa, tenha em mãos cópias dos documentos e também o armazenamento deles na nuvem (e-mail, drive etc), assim, os originais poderão ficar na hospedagem, em local seguro. A mala também deve ser pequena tanto para não chamar atenção quanto para ajudar na locomoção.

É importante também estar inteirada sobre o transporte local. Dependendo da cidade, não há motoristas de aplicativos ou são bem difíceis de conseguir. É bom saber se há ônibus, metrô, aluguel de bicicletas, carros etc. Isso facilita na hora de economizar também.

Por fim, pesquise na internet mulheres que já foram para o destino planejado e veja as dicas que elas dão de segurança, hospedagem, transporte e de possíveis passeios.

LOCAIS PERIGOSOS – Assim como na nossa cidade existem locais mais perigosos que outros, isso também pode acontecer com um possível destino, por isso, planejamento e precaução são essenciais. As dicas já mencionadas acima valem muito, contudo, há mais itens a serem observados.

Pesquisar a opinião de outras mulheres que já foram ao local é imprescindível para ter a noção real do perigo existente. Em alguns locais, recomenda-se, por exemplo, não ir a passeios sem guia, de preferência mulher. 

Outra dica é ter sempre um celular com internet para garantir comunicação e acesso a mapas e, assim, não precisar pedir informações, que deixam a mulher mais vulnerável. No exterior, isso é possível comprando um chip local, e o próprio vendedor pode ajudar a fazer a ativação dele.

Com cuidado e planejamento você pode ganhar o mundo nessa aventura que faz bem para o corpo, para a mente e para as emoções. Au revoir!