Presença de mulheres cresce 900% na Bolsa em três anos e valores investidos são maiores
11/05/2022 - 13:05

As mulheres brasileiras estão tomando gosto pelo mundo financeiro e encontrando novas formas de fazer suas economias renderem. Nunca tantas mulheres estiveram investindo na Bolsa de Valores, principalmente no setor considerado de alto risco, como ações, fundos imobiliários etc.

O relatório de 2021 divulgado há algumas semanas pela B3 mostrou que entre 2013 e 2018, as mulheres não saiam da casa de 100 mil investidoras na Renda Variável e hoje o crescimento foi de 900% com mais de 1,1 milhão de mulheres investindo, que equivale a 23,5% do total dos investidores na B3, atualmente com mais de 5 milhões de clientes. Ou seja, de 2018 até agora foram mais de 1 milhão de novas usuárias.

Apesar dessa considerável entrada de mulheres nos últimos períodos, a proporção com os homens se mantém praticamente constante ao longo dos anos. E os dois gêneros ainda têm perfil mais conservador e ficam em sua maioria nos investimentos em Renda Fixa, onde estão mais de 10,1 milhões de investidores, a grande maioria em CDBs, com 7,2 milhões de pessoas.

No Dia Internacional das Mulheres, 8 de março, durante o evento “Toque o Sino pela Igualdade” (Ring the Bell for Gender Equality), realizado em 122 bolsas do mundo todo, o CEO da B3, Gilson Finkelsztain, disse que a instituição tem o compromisso de aumentar para 35% a composição de mulheres na B3 até 2026, além da criação de um índice de mercado para medir a performance de empresas que tenham bons indicadores de diversidade.

VALORES MAIORES NA BOLSA - O número de investidores homens na Renda Variável é historicamente maior do que o de mulheres. Por outro lado, as mulheres apresentam valor mediano do primeiro investimento maior do que o dos homens. Em 2021, elas já começaram investindo em média R$ 62, enquanto os homens aplicaram 29% a menos, ou R$ 44. Em 2014, essa diferença era ainda maior quando elas investiam cerca de R$ 11 mil e eles apenas R$ 5 mil na primeira aplicação.

Mas é bom lembrar que entrar na bolsa de valores é algo sério, que necessita de muito estudo. Mas a internet está repleta de informações, há muitos vídeos e cursos gratuitos na web. A própria B3 oferece cursos para iniciantes, por meio do seu Hub de Educação.

Aplicações graduais para conhecer esse território é uma das estratégias dos novos investidores. Segundo a B3, 73% deles aprenderam a investir com canais do YouTube e com influenciadores. Contudo, a B3 aponta que, hoje, diante do leque amplo de informações disponíveis, é essencial que as pessoas estejam cada vez mais atentas não só à qualidade dos dados como, também, à credibilidade, reputação e histórico de suas fontes.

TESOURO DIRETO – o número de mulheres investindo no conservador Tesouro Direto é semelhante ao da Renda Variável, com 700 mil pessoas. Por outro lado, o de homens no ativo é bem inferior ao existente na Renda Variável e apenas 1,1 milhão estão no Tesouro, contra os 3,2 milhões no outro investimento.