Exames de Mamografias cresceram 25% no Paraná em 2021, mostra SISCAN
20/04/2022 - 15:49

Em 2021, mesmo com os temores da Covid-19 ainda em alta, houve uma recuperação na quantidade de exame de mamografia em comparação ao ano anterior, primeiro da pandemia, com a aumento de 25% nos exames realizados.

Em 2020, foram realizadas 191.048 mamografias, 45% a menos que em 2019, quando foram realizadas 347.319 mamografias em mulheres paranaenses, conforme informações do Sistema de Informação do Câncer (SISCAN). Em 2021 foram realizadas 239.487 mamografias, o que representa um aumento de 25% em relação a 2020.

Dos exames realizados em 2019, 4% foram mamografias diagnósticas e 96% de rastreamento. Já em 2020, as mamografias diagnósticas corresponderam a 4,5% e as de rastreamento 95,5% dos exames realizados. Em 2021, 3,7% foram mamografias diagnósticas e 96,3% de rastreamento, considerando todas as faixas etárias.

Em relação aos resultados dos exames, em 2019, 10% das mulheres que realizaram mamografias relataram algum nódulo no momento da requisição do exame. Em 2020, esse número foi de 12%, reduzindo para 11% em 2021.

ATUAÇÃO DA SAÚDE - Em 2021, a Secretaria da Saúde do Paraná emitiu nota técnica com orientações a gestores em relação ao rastreamento ao câncer de mama e do colo do útero. Para tanto, os gestores deveriam considerar o cenário epidemiológico e contexto local, a capacidade de resposta da Rede de Atenção à Saúde e o histórico de saúde das usuárias.

Segundo a nota, mulheres com resultados de testes de rastreamento anormais devem ser localizadas inclusive por busca ativa, com priorização para investigação diagnóstica. “Na presença de sinais e sintomas de câncer, as consultas e os exames para investigação diagnóstica deverão ser viabilizados com prioridade, inclusive com monitoramento da usuária por parte da equipe. Nos casos de confirmação diagnóstica de câncer, as usuárias devem ter seu tratamento garantido não sendo interrompido”, diz trecho da nota.